O Governo da Bahia decretou férias coletivas para os professores da rede estadual de ensino, a partir da próxima terça-feira (3). A medida foi publicada, nesta sexta-feira (30), no Diário Oficial do Estado (DOE). De acordo com o decreto, a decisão foi tomada considerando o estado de calamidade pública em todo o território baiano e a situação de emergência, em razão da pandemia decorrente da COVID-19. As férias serão de 30 dias seguidos, até o dia 2 de dezembro. No país, 17 estados concederam períodos de 15 dias de férias para os professores e outros três estados, de 30 dias.

A medida se aplica a 33.391 servidores, sendo professores, vice-diretores e coordenadores pedagógicos do quadro do magistério público estadual; os contratados pelo Regime Especial de Direito Administrativo (REDA), que atuam no exercício das funções do magistério; e os profissionais da Educação que estão no exercício da função de mediador, de intérprete de LIBRAS, de brailista, de instrutor de LIBRAS, de cuidador, de técnico de atendimento de Educação Especial – AEE, de preceptor e de nutricionista, nas unidades de ensino da rede estadual. A exceção é para diretor escolar. O pagamento relacionado ao 1/3 das férias será feito em folha extra.

As aulas na rede estadual de ensino foram suspensas no dia 15 de março e permanecem suspensas, conforme decreto estadual n° 19.586, até o dia 15 de novembro. A data de retorno das aulas ainda não está definida. As aulas só serão retomadas em condições de segurança, a partir da indicação das autoridades de Saúde do Governo do Estado.


O novo boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde de Itacaré, nesta quinta-feira (28), divulgou que o município possui um caso ativo do novo Coronavírus.E mantém o controle e agora somam 492 casos confirmados pela doença. Porém dessa totalidade, 481 estão recuperados.

O número de óbitos segue em 10. E 01 internamento hospitalar, e 08 resultados de exames laboratorial em aguardo. Dos 1.116 casos notificados, 618 foram descartados. (Itacaré Urgente).


O pagamento do 13º salário para os beneficiários do programa Bolsa Família não está confirmado neste ano, revelou o Ministério da Economia. De acordo com a pasta, não há previsão sobre o pagamento, pelo menos até o momento. O benefício foi pago no ano passado para mais de 13 milhões de famílias após promessa do governo Bolsonaro. O pagamento do 13º do Bolsa Família foi uma medida adotada pelo governo para compensar os beneficiários do programa pela alta da inflação, traz reportagem do G1.

A equipe do portal procurou o Ministério da Cidadania, responsável pelo programa, mas não obteve resposta. O benefício foi previsto na Medida Provisória 898, que só o assegurou em 2019, apesar de o presidente Jair Bolsonaro assegurar que o 13º seria anual, ressalta a matéria do G1.

Uma comissão do Congresso chegou a aprovar mudanças nessa Medida Provisória para tornar o pagamento permanente. Mas a MP e as alterações aprovadas acabaram perdendo a validade em março deste ano porque não foram votadas a tempo pela Câmara e Senado. Para que o pagamento fosse assegurado neste ano, seria necessária uma nova Medida Provisória ou o envio de um projeto de lei para ser aprovado pelo Congresso.(Giro Ipiaú)


A retomada das atividades presenciais nas escolas da Bahia foram tema de questionamentos lançados por seguidores ao governador da Bahia, Rui Costa, durante transmissão do Papo Correria nesta terça-feira (27). De acordo com o gestor baiano, o retorno as aulas acontecerá de forma gradual. As aulas estão suspensas no estado desde 18 de março. Rui explicou que os secretários municipais e o estadual vão conversar para que o retorno seja feito por grupos.

Rui Costa afirmou que não é possível condicionar o retorno das aulas a descoberta da vacina da Covid-19. O argumento apresentado pelo gestor foi de prejuízo na educação. “Já perdemos o 2020 não podemos perder 2021 também. Mesmo que em dezembro ou janeiro tenha validação [da vacina] e até agora não tem. Não podemos adotar a prerrogativa de só voltar quando tiver vacina. Não podemos passar dois anos sem vacina”, comentou.

O governador adiantou que serão feitas exigências para que as aulas sejam retomadas. A lista inclui, por exemplo, metade da lotação das aulas; disponibilidade de álcool gel; pias. O primeiro grupo a retornar as aulas presenciais será o formado pelo nível superior.


O governador Rui Costa anunciou nesta terça-feira (27), que os 118 km da BA 001 entre Valença e Itacaré, passando por Camamu serão recuperados pela Secretaria de Infraestrutura da Bahia (Seinfra), através do Programa de Recuperação e Manutenção de Estradas (Premar). O aviso de licitação da obra saiu no Diário Oficial do Estado (D.O.E.) desta quarta-feira (28).
A licitação exige da empresa vencedora a manutenção da estrada por cinco anos, o que deverá amenizar os crônicos problemas de buracos e os intermináveis redutores de velocidade (cerca de 70 até Camamu).
A BA 001 encontra-se atualmente em péssimas condições, haja vista que durante décadas apenas serviços de tapa-buracos foram feitos. A obra vai beneficiar os municípios de Valença, Taperoá, Ituberá, Igrapiúna, Camamu e Itacaré.Fonte: Baixo Sul News.


Uma operação da Polícia Civil e da Rondesp Sul terminou com um traficante morto em confronto, armas, drogas e até uma placa solar apreendidos nesta terça-feira (27), na região da Ambuba, em Maraú. A ação aconteceu para averiguar uma denúncia de sequestro e cárcere privado de uma mulher e de seus filhos, em uma propriedade particular da região. Os agentes foram até o o local indicado e, ao chegarem nas imediações da fazenda, foram recebidos à tiros por um indivíduo identificado como Paulo Rasta, que foi morto em confronto com os policiais. Ao todo, foram apreendidos 3 espingardas, 2 Garruchas, 1 revólver calibre 22, 1 máquina fotográfica e 3 lentes, 2 balanças de precisão, 2 carregadores para celular, 2 celulares e 1 placa solar que era utilizada como estufa para secagem de maconha. Além disso, foram encontrados 53 gramas de maconha seca, 15 pés de maconha verde e, aproximadamente, 30 pés de maconha seca e 1 cartucho de calibre 32, deflagrado no interior da espingarda do suspeito. Segundo a delegada de Maraú, Andréa Oliveira, as supostas vítimas do sequestro estavam na fazenda por vontade própria, se escondendo do seu ex-companheiro que, segundo a mulher, era agredida e recebia ameaças de morte. O autor da denúncia de sequestro foi preso por prática de denunciação caluniosa. (Barra Grande 24hs)


 

O sociólogo Agenor Gasparetto, do Instituto Gasparetto de Pesquisas divulgou nota à imprensa nesta quarta-feira (28), em que reage ao uso de seu nome por candidatos que divulgaram pesquisas sem registro e de resultado duvidoso atribuídas à sua empresa. Um dos mais respeitados profissionais da área na Bahia, Agenor Gasparetto diz que “as diferentes versões de pesquisas eleitorais em Itabuna, que circulam na Internet e fora dela, são ilegais, são falsas e visam confundir o eleitor e a opinião pública”. A indignação de Gasparetto vem na esteira de outras reações manifestadas por jornalistas e candidatos a prefeito, como o Capitão Azevedo, da coligação Unidos Para o Progresso, que, em entrevista ao jornalista Tom Ribeiro, no Balanço Geral da TV Record Cabrália, condenou o uso de fake news, expediente que, segundo ele, tem sido muito usado na eleição de Itabuna, inclusive para disseminar números falsos de pesquisas ilegais. “Tem candidato em Itabuna espalhando fake news de pesquisas falsas e sem registro e isso mostra bem o caráter desse candidato”, afirmou Azevedo na entrevista. Ainda na nota, Agenor Gasparetto deixou claro que não registrou pesquisa eleitoral de Itabuna e que qualquer número que seja divulgado sem esse registro é ilegal e não merece crédito e fez menção às famigeradas fake news tão combatidas por quem quer uma eleição limpa e séria. “Mais uma vez, [Gasparetto] reafirma que o Instituto somente consentirá com veiculação de resultados de suas pesquisas apenas e exclusivamente quando devidamente registradas na Justiça Eleitoral. Não havendo esse registro, como é o caso, a veiculação é ilegal, sem consentimento, não merecendo crédito o conteúdo veiculado assim como quem difunde fake news usando o seu nome”.(RBN)