O técnico Tite convocou na manhã desta quinta-feira (19) a seleção brasileira que enfrentará a Colômbia em amistoso na próxima quarta (25), no Estádio Nilton Santos (Engenhão), no Rio de Janeiro.

Batizado de “Jogo da Amizade”, o duelo com a Colômbia será disputado com a intenção de arrecadar fundos aos familiares das vítimas da tragédia aérea da Chapecoense, ocorrida no fim de novembro, quando o time catarinense viajava a Medellín para disputar o jogo de ida da decisão da Copa Sul-Americana – posteriormente, o clube foi declarado campeão pela Conmebol.

A convocação de Tite para esta partida foi totalmente caseira, contando apenas com atletas que atuam no futebol nacional.

O treinador e a comissão técnica se preocuparam em saber como está cada atleta antes da convocação e chamaram somente jogadores que tenham condições de atuar por, no mínimo, 45 minutos.

Confira a convocação completa para o Jogo da Amizade:

Goleiros
Alex Muralha (Flamengo)
Danilo Fernandes (Internacional)
Weverton (Atlético-PR)

Laterais
Fagner (Corinthians)
Jorge (Flamengo)
Fábio Santos (Atlético-MG)
Marcos Rocha (Atlético-MG)

Zagueiros
Pedro Geromel (Grêmio)
Rodrigo Caio (São Paulo)
Vitor Hugo (Palmeiras)
Luan Garcia (Vasco)

Meio-campistas
Walace (Grêmio)
Henrique (Cruzeiro)
Willian Arão (Flamengo)
Rodriguinho (Corinthians)
Diego (Flamengo)
Gustavo Scarpa (Fluminense)
Camilo (Botafogo)
Lucas Lima (Santos)

Atacantes
Dudu (Palmeiras)
Luan (Grêmio)
Diego Souza (Sport Recife)
Robinho (Atlético-MG)


Time grande cai. A Série B do Brasileirão, pela primeira vez em mais de cem anos de história, será a realidade do Sport Club Internacional. Em 2017, o clube colorado e sua torcida pagarão pelos inúmeros erros cometidos ao longo das 38 rodadas da Série A, sejam eles de jogadores e diretoria. O empate por 1 a 1 diante do Fluminense, neste domingo, pela última rodada, no Estádio Giulite Coutinho, foi a amarga cereja do bolo na terrível campanha do Inter.

O time gaúcho terminou a competição com 43 pontos, na 17ª posição, tendo apenas 11 vitórias e 17 derrotas. Foram 12 das 28 rodadas na zona de rebaixamento. Infelizmente para a torcida do Inter, não dá para dizer que não foi merecido, por tudo o que o Inter não fez no ano e pelo investimento realizado.

No derradeiro capítulo do show de horrores que foi o Colorado na Série A-2017, um time pressionado pela necessidade de vencer, mas que não conseguia se mexer em campo direito, criar jogadas de perigo e empolgar os fiéis torcedores que apareceram em Mesquita, na Baixada Fluminense.

Quem não tinha nenhum problema de mobilidade e mais uma vez apareceu para manter o Inter vivo na briga para não ser rebaixado foi o goleiro Danilo Fernandes. Se tem um cara sem culpa no triste fim do Colorado é ele. Além de uma defesa bonita em um chute de Gustavo Scarpa na entrada da área, Danilo Fernandes pegou um pênalti na reta final do primeiro tempo. Que campeonato fez esse rapaz!

Torcedor do Inter lamenta resultado
Torcedor do Inter lamenta resultado/Foto: Futura Press
Acompanhar os jogos dos concorrentes também foi um capítulo à parte no sofrimento do Inter. A torcida do Fluminense foi a porta-voz do que acontecia na rodada. Parecia que os tricolores queriam mais a queda colorada do que a vitória Tricolor. Mas se o Inter não fazia o próprio dever de casa, importava menos o que acontecia a quilômetros de distância do Giulite Coutinho.

No segundo tempo, a mornidão do jogo continuou impressionando. Apesar das alterações que Lisca ia fazendo no time, o Fluminense, descompromissado, não sofria aquela pressão, com P maiúsculo. O Inter pouco conseguiu encaixar jogadas que importunassem o adversário.

Alex disputa jogada
Alex disputa jogada // Foto: Gazeta Press

Até que o golpe final para a queda do Internacional veio. Um chute de Douglas, no canto, que deixou o herói Danilo Fernandes inerte. Gol do Fluminense: 1 a 0.

A torcida desanimou, começou a deixar o estádio mais cedo. Os dirigentes do Inter também saíram do camarote. Nem sequer viram o empate, já aos 41 minutos do segundo tempo, marcado por Ferrareis.

O Inter já não tinha chances de se salvar. Resta juntar os cacos para voltar a disputar a Série A-2018. (Portal Terra)


A Conmebol oficializou, na tarde desta segunda-feira (5), o time da Chapecoense como campeão da Copa Sul-Americana de 2016. A equipe catarinense jogaria a final contra o Atlético Nacional de Medellín, porém, foi impedida por conta da tragédia com o avião que levava jogadores e comissão técnica. “A Confederação Sul-Americana de Futebol confirma que o conselho da Conmebol, em sua qualidade de autoridade permanente encarregada de cumprir os Estatutos da Instituição decidiu declarar a Associação Chapecoense de Futebol campeã da edição 2016 da Copa Sul-Americana”, informou a entidade em nota. Com o título, a Chape automaticamente garantiu vaga na Taça Libertadores da América e na Recopa Sul-Americana do próximo ano. O time também conquistou o prêmio de dois milhões de dólares pela conquista. Na Recopa, a Chapecoense enfrentará justamente o Nacional, atual campeão da Libertadores. Segundo a Conmebol, o pedido feito pelo Atlético Nacional para que a Chapecoense ficasse com o título foi decisivo. A atitude do alviverde de Medellín rendeu a equipe colombiana o prêmio “Centenário Conmebol de Fair Play”, garantindo ao time ainda a quantia de um milhão de dólares.


O Palmeiras vai anunciar nesta sexta-feira a contratação do técnico Eduardo Baptista para substituir Cuca, que deixou o clube após a conquista do Campeonato Brasileiro. O novo treinador chegará com o auxiliar Pedro Gama.

A Ponte Preta, atual clube de Baptista, convocou uma coletiva para esta sexta, pela manhã, com a presença do próprio treinador e do presidente do clube, Vanderlei Pereira. A entrevista servirá para anunciar a saída do técnico.
Baptista estava na Ponte Preta desde abril deste ano. Filho de Nelsinho Baptista, o ex-zagueiro começou a carreira fora de campo como preparador físico antes da primeira chance como treinador, no Sport. Em seguida, comandou o Fluminense.
No Palmeiras, ele poderá repetir o pai, que trabalhou no clube entre 1992 e 1993, no início da Era Parmalat.
Na última partida no Campeonato Brasileiro (contra o Vitória, em Salvador, no dia 11), porém, o comandante do Palmeiras ainda deverá ser Cuca, que se colocou à disposição do clube até o final de seu contrato, no dia 31. (Globo esporte.com)


O Vitória não parece estar muito preocupado com uma possível denúncia do Internacional contra a suposta irregularidade do zagueiro Victor Ramos. O clube baiano, que já encarou a mesma acusação em duas oportunidades durante o Campeonato Baiano e não sofreu danos, lamenta a atitude do clube gaúcho e diz que ‘o futebol não merece mais isso’.

“Isso é uma responsabilidade e uma decisão exclusiva do Internacional. O Vitória já comprovou, já mostrou, já respondeu tudo que tinha que ser feito. Acho que não cabe mais nos dias de hoje esse tipo de movimentação, o futebol não merece mais isso”, disse o diretor executivo de futebol do Vitória, Anderson Barros, em entrevista.

“Deixa que eles façam as movimentações deles até porque não tem o que o Vitória fazer nesse momento, até porque todas as justificativas legais já foram feitas”, acrescenta o dirigente baiano.

Inter e Vitória disputam diretamente uma vaga na elite para 2017, na briga contra o rebaixamento. Os baianos têm três pontos de vantagem sobre os gaúchos, que podem ser rebaixados já na próxima rodada, com um triunfo do Vitória sobre o Coritiba no Paraná, somado a qualquer resultado que não seja vitória do Inter sobre o Cruzeiro no Beira-Rio.

Victor Ramos estaria irregular por conta de sua transferência para o Vitória logo após o final de seu empréstimo ao Palmeiras, pelo qual jogou o Brasileirão 2015. Ramos tem seus direitos ligados ao Monterrey, do México, e, quando de sua transferência do Palmeiras para o Vitória, o rito na negociação não seguiu as recomendações do sistema TMS – Transfer Market System, ou Sistema de Mercado de Transferências, em tradução livre.

Na ocasião, de acordo com o sistema, a transferência partiu direto do clube paulista para o baiano, quando o procedimento padrão deveria ser feito pelos mexicanos.

Legalmente, o contrato de Victor Ramos com o Palmeiras se encerou em 31 de dezembro de 2015, com o contrato com o Vitória se iniciando em 1º de fevereiro de 2016. Durante o mês de janeiro, Ramos não teve seu registro voltando ao México. A presença do Palmeiras nos sistemas da Fifa caracteriza a transferência direta entre os brasileiros.

Reprodução

Durante o Campeonato Baiano, o Vitória precisou se defender da mesma acusação. Na ocasião, o procurador geral do TJD-BA decidiu arquivar o caso alegando que o TJD da Bahia não poderia julgar “atos ou omissões de dirigentes ou administradores da CBF”. Isso porque um documento (imagem ao lado) do diretor de registro da CBF, Reynaldo Buzzoni, reafirmou que a transferência de Victor Ramos era de caráter nacional, uma vez que o clube detentor dos direitos do atleta, o Monterrey, do México, não solicitou o retorno do empréstimo do jogador no TMS.

Caso acatada, a denúncia prevê perda de 3 pontos por partida em que o atleta jogou, violando o artigo 214 do CBJD. Victor Ramos atuou em 24 jogos pelo Vitória até a 36ª rodada, o que daria um total de 72 pontos a serem perdidos pela equipe baiana.(UOL Esporte)


Ricardo Gomes não é mais técnico do São Paulo Futebol Clube. Marco Aurélio Cunha, executivo de futebol do clube, convocou a imprensa de forma repentina no início da tarde desta quarta-feira para fazer o anúncio do desligamento do treinador, que comandou o treino desta quarta-feira normalmente antes de ser chamado para a reunião na área interna do CT. O dirigente não quis dar entrevista e não respondeu a nenhuma questão, apenas fez o comunicado para formalizar o ato na sala de imprensa do CT da Barra Funda.

“O São Paulo Futebol Clube anuncia que teremos uma mudança no comando técnico. Ricardo Gomes e o auxiliar Luiz Otávio deixam o clube. Agradecemos o trabalho. Vamos começar novos planos e rumos dentro da nossa ideologia para 2017. O Pintado será o treinador interino para os jogos que faltam e na pré-temporada, para a Flórida Cup, já teremos o novo treinador”, disse Cunha, em rápidas palavras.

Marco Aurélio Cunha comunicou a saída de Ricardo Gomes e não respondeu a nenhuma questão dos jornalistas (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)
Marco Aurélio Cunha comunicou a saída de Ricardo Gomes e não respondeu a nenhuma questão dos jornalistas (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

Ricardo Gomes assumiu o São Paulo dia 21 de agosto . Desde então, o time do Morumbi entrou em campo 18 vezes, venceu em seis oportunidades, empatou cinco partidas e acabou derrotado em sete jogos. Atualmente, a equipe ocupa apenas a 13ª na tabela de classificação do Brasileirão, com 46 pontos. Somando a outra passagem do técnico no comando do time, entre junho de 2009 e agosto de 2010, ao todo seu retrospecto é de 90 jogos, com 44 vitórias, 26 derrotas e 20 empates.

O rompimento partiu da diretoria do São Paulo, que já estava decidida há alguns dias, mas aguardou “o melhor momento” para fazer o anúncio. Como o time já não aspira mais nada na temporada e faltam apenas dois jogos para as férias coletivas, o presidente Leco e sua cúpula entenderam que esse seria o momento ideal. Segundo Marco Aurélio Cunha, Ricardo Gomes entendeu a situação e recebeu a notícia de forma “muito educada e compreensiva”, como de costume.

Agora, o Tricolor do Morumbi vai ao mercado. A diretoria já tem um leque de opções e espera definir o mais rápido possível em que irá centralizar seus esforços. Rogério Ceni segue sendo o nome preferido, mas, o São Paulo trabalha com outros nomes por entender que o ex-camisa 01 talvez ainda não deseje retornar ao clube nesse momento. A intenção é contratar um técnico com uma “nova linha ideológica” e que tenha tempo para trabalhar desde a pré-temporada, com o objetivo de fazer o São Paulo voltar a brigar por títulos. Fonte: Gazeta Esportiva.


O Brasil é cada vez mais líder das Eliminatórias. Com a goleada por 3 a 0 sobre a Argentina, com direito a gritos de olé da torcida no Mineirão, o Brasil chegou aos 24 pontos e praticamente garantiu sua participação na Copa da Rússia, em 2018. Já os argentinos permanecem em sexto lugar, com 16 pontos. A vitoria começou com gol de Phelipe Coutinho, aos 24 minutos e Neymar ampliou aos 45 minutos do primeiro tempo. Na segunda etapa, Paulinho ampliou aos dez minutos de jogo.

A Argentina iniciou a partida melhor, na metade do primeiro tempo o time argentino chegou a ter 57% de posse de bola, mas o jogo transitava mais pelo meio de campo. Messi reinava, até que o Brasil aproveitou um contra-ataque aos 24 minutos, Phellippe Coutinho avançou e mandou um chute sem defesa para Romero.

Com um a zero no placar a Argentina apagou e aos 45 minutos, Neymar aproveitou bonito passe de Gabriel Jesus e ampliou.

Na segunda etapa Paulinho desperdiçou grande chance de marcar aos dez minutos, mas logo em seguida aproveitou passe de Daniel Augusto e colocou números finais à partida.

“O mais importante nossa equipe ter vencido, se com gol meu ou não, o mais importante é o grupo”, disse Paulinho.

Nas outras partidas Colômbia e Chile empataram por 0 a 0, Paraguai 1 x 4 Peru, Uruguai 2 a 1 no Equador e Venezuela 5 x 0 Bolívia.

Brasil: Alisson – Dani Alves, Miranda (Thiago Silva, 86), Marquinhos, Marcelo – Fernandinho, Paulinho, Renato Augusto – Philippe Coutinho (Douglas Costa, 84), Neymar y Gabriel Jesús (Roberto Firmino, 81). DT: Tite.

Argentina: Romero – Zabaleta, Otamendi, Funes Mori, Mas – Enzo Pérez (Agüero, 46), Biglia, Mascherano, Di María (Correa, 71) – Messi e Higuaín. DT: Edgardo Bauza.