A CBF comunicou na manhã desta quinta-feira o corte do volante Luiz Gustavo do grupo da seleção brasileira que disputará a Copa América nos Estados Unidos. Segundo a entidade, o volante alegou problemas pessoais para deixar a seleção. Em seu lugar, Walace, do Grêmio, foi convocado.

“Infelizmente, é um problema familiar que venho enfrentando já há algum tempo. Foi uma decisão muito difícil de tomar, mas quando o assunto é família, não existe outra prioridade”, disse Luiz Gustavo em um comunicado. “Agradeço de verdade a todos os integrantes da comissão técnica, aos meus companheiros e outros profissionais da delegação por toda a compreensão e pelo apoio”.

“Todos já estavam cientes dessa situação e estiveram do meu lado desde o início, para o que eu precisasse. É e sempre será um prazer imensurável vestir essa camisa e honrar o meu país, mas, desta vez, tive que abrir mão da seleção em prol da minha família. Estarei na torcida pelos meus companheiros para que façam uma excelente competição”, completou o volante.

Luiz Gustavo é o sexto cortado da seleção brasileira para a Copa América. Antes dele, Ricardo Oliveira, Douglas Costa, Ederson, Rafinha e Kaká já haviam sido desconvocados do torneio, porém todos por lesão.

No treino realizado na última quarta-feira, no StubHub Center, Dunga tirou Luiz Gustavo do time titular e testou a formação com Casemiro, que acabara de chegar após ser integrado depois do título da Liga dos Campeões, com o Real Madrid. Novo convocado, Walace, que tem idade olímpica, joga nesta quinta-feira pelo Grêmio contra o Palmeiras e viaja na sexta-feira para os Estados Unidos. Ele foi informado da convocação durante a madrugada, e a diretoria do Grêmio ficou sabendo durante a manhã desta quinta.

Em nota enviada pelo departamento de comunicação, a CBF afirma que Luiz Gustavo já havia exposto previamente a possibilidade de ter de deixar os Estados Unidos para ficar junto à família. Confira o comunicado. 

“O volante Luiz Gustavo foi desconvocado na manhã desta quinta-feira. Em conversa com a Comissão Técnica da Seleção Brasileira, o jogador do Wolfsburg solicitou sua dispensa da equipe por problemas pessoais.

Para seu lugar, Walace, do Grêmio, foi convocado.

Luiz Gustavo já havia relatado à Comissão Técnica, ainda no Brasil, a existência do problema, a ponto de exigir, agora, a sua presença junto aos familiares.

A Comissão Técnica e os jogadores estão solidários com o companheiro, todos desejando que o problema seja o mais rapidamente possível resolvido”.

Fonte: Uol.


Com poucos zagueiros no elenco e apenas com Felipe Vizeu para a reserva de Guerrero, que está fora por pelo menos cinco jogos para disputar a Copa América, o Flamengo corre também para contratar um centroavante. No radar rubro-negro estavam alguns nomes, entre eles Grafite, destaque do Santa Cruz e artilheiro do Brasileiro com seis gols. Houve também oferta do atacante Marco Ruben, do Rosario Central, que segue na equipe argentina. O outro nome não é novidade e é um velho conhecido: Hernane, o Brocador. O atacante do Bahia tem contrato até o fim do ano com o time baiano. Depois do silêncio inicial sobre o caso, o vice-presidente de futebol Flavio Godinho falou primeira vez no assunto.

– A decisão da Fifa não vai sair amanhã e isso já responde qualquer interesse sobre Hernane. Com Muricy, a gente tinha intenção de buscar um reserva para o Guerrero e fazer companhia para o Vizeu. Temos Vizeu, Nixon e o Ederson, que também joga por ali. Talvez essa conversa fique para ser tratada com a nova comissão técnica – disse o dirigente.

A decisão da Fifa não deve sair realmente nesta sexta-feira. A previsão é de que até início da semana que vem o departamento jurídico tenha notícia de que venceu a ação contra o Al Nassr. Um dos advogados que atende ao clube, Marcos Motta, deu parecer positivo à diretoria para contratar o jogador assim que sair o resultado na Fifa. O nome do Brocador chegou a ser avaliado por Muricy.
Na semana passada, após o GloboEsporte.com revelar o interesse e o início das tratativas para o retorno do Brocador, o diretor de futebol do Flamengo, em contato com o jornal “Extra”, disse que “não há qualquer negociação nesse momento” por Hernane, acrescentando, porém, que “Hernane sempre será um nome lembrado caso seja possível, mas há impossibilidade por causa da ação na Fifa”. A reportagem tentou, mais uma vez, contato com os representantes do jogador, mas não conseguiu contato com o empresário Paulo Pitombeira para comentar o assunto.

A dificuldade na transação por Hernane reside, além do empecilho atual com a Fifa e o vínculo atual com o Bahia, no aspecto financeiro. O jogador de 30 anos viria para receber cerca de R$ 250 mil em contrato longo. Além disso, o clube baiano deve ser recompensado com a rescisão de contrato – Hernane voltou a jogar nesta quarta-feira e fez o gol da vitória do Bahia contra o Joinville: 1 a 0. Pelo Flamengo, o Brocador conquistou a Copa do Brasil de 2013 e o Carioca de 2014 na Gávea. Foram 45 gols em 87 jogos. Ano passado, o Rubro-Negro já sondou o retorno de Hernane, porém houve consenso na diretoria de que era preciso esperar a pendência da Fifa para novo investimento.
Em 2014, os sauditas do Al Nassr acertaram a contratação de Hernane por 4,5 milhões de euros, mas não pagaram até hoje. O caso foi parar na Corte Arbitral do Esporte, e uma decisão favorável ao Flamengo pode ser anunciada até a próxima semana. Há, porém, mais uma vez a possibilidade de adiamento da resolução, o que já ocorreu no mês passado e é uma das coisas que faz a diretoria do Fla mostrar cautela. A vitória judicial valeria R$ 18 milhões às partes lesadas, cabendo R$ 11 mi ao Fla e outros R$ 7 a antigos representantes do Brocador. O dinheiro que cabe ao Flamengo, no entanto, será destinado a pagamento de dívidas.
*Fonte Globo Esporte


Depois de seis anos, o São Paulo voltará a disputar uma semifinal de Copa Libertadores. Nesta quarta-feira, o time comandado por Edgardo Bauza perdeu por 2 a 1 para o Atlético-MG no estádio Independência, em Belo Horizonte, mas avançou à semifinal da competição por ter marcado um gol fora de casa – a partida no Morumbi acabou em vitória são-paulina por 1 a 0.

O triunfo são-paulino só acontece por um gol do zagueiro Maicon, mais uma vez herói, que conseguiu brecar um início fulminante de partida dos donos da casa: foram dois gols do Galo logo no início, que chegaram a anunciar uma possível goleada. Nos minutos finais, muita pressão do Atlético e resistência do São Paulo, que se fechou completamente e vendeu caro a derrota.

O São Paulo agora aguarda o vencedor do confronto entre Atlético Nacional (COL ) e Rosário Central (ARG) para conhecer o adversário da semifinal – os argentinos venceram a primeira partida por 1 a 0, e o segundo jogo acontece nesta quinta-feira. Do outro lado da tabela, Boca Juniors (ARG) e Nacional (URU) brigam por outra vaga. Caso Boca e Rosario avancem nos respectivos confrontos, o regulamento da Libertadores obriga que as duas equipes do mesmo país se enfrentem. Neste caso, o São Paulo enfrentará o vencedor de Pumas (MEX) e Independiente Del Valle (ECU).

Ontem goleiro, hoje goleador

REUTERS/Washington Alves

O zagueiro Maicon virou um dos protagonistas da campanha do São Paulo na Copa Libertadores e virou um dos preferidos da torcida depois do empate contra o The Strongest, na Bolívia, que selou a classificação do time às oitavas de final. Naquela partida, virou goleiro depois de expulsão de Denis e conseguiu duas saídas seguras do gol. Nesta quarta-feira, no Independência, fez as vezes de artilheiro: parou o início avassalador do Atlético ao marcar de cabeça após cobrança de escanteio de Kelvin.

Galo começa fulminante

AP Photo/Juliana Flister

Aos 12 minutos de jogo parecia que o estádio Independência veria uma noite de goleada do time da casa. O placar já marcava 2 a 0 e o São Paulo parecia não ter entrado na partida. O primeiro gol do Atlético saiu aos seis minutos com o equatoriano Cazares, que marcou depois que Denis espalmou forte finalização de Marcos Rocha. Cinco minutos depois Carlos recebeu cruzamento perfeito de Douglas Santos e ampliou.

SP vê zaga insegura e Denis infeliz

Apontado como ponto de pouca solidez defensiva do São Paulo, o goleiro Denis não cometeu erro no primeiro gol, mas acabou protagonizando um lance que talvez pudesse ser evitado. Fez grande defesa no chute de Marcos Rocha, mas acabou colocando para dentro a finalização de Cazares – o chute do equatoriano bateu nas pernas do goleiro, que não conseguiu desviar a bola da rota do gol. Na jogada seguinte, o zagueiro Rodrigo Caio falhou na marcação e viu Carlos subir livre para cabecear. (Uol)


O técnico Fernando Diniz selecionará os melhores atletas entre os dois elencos para formar o time que tentará o acesso à elite do futebol nacional no fim deste ano. Tudo será oficializado para a imprensa e para a torcida nesta terça.  Roberto Fonseca, agora ex-técnico do Oeste, confirmou a notícia. “Fui comunicado pela direção que não faço mais parte dos planos. Um grupo de atletas, já a partir de amanhã, irá para Osasco treinar nas instalações do Audax”, disse por telefone.

Ernesto Garcia, presidente do Oeste, também confirmou a notícia. “A gente vai conversar com o Fernando e com a diretoria do Audax para bater os detalhes nesta terça-feira”, afirmou.

O comunicado aos atletas foi dado de um modo curioso, como revelado pelo blog Bastidores FC e confirmado pelo UOL Esporte. De acordo com jogadores ouvidos pela reportagem, uma lista com os nomes dos convocados foi colocada na parede do vestiário avisando da mudança. Fábio, Mazinho, Fernandinho e Ricardo Bueno, todos com passagens pelo Palmeiras, são alguns dos exemplos dos que foram chamados.

A tendência é que o Audax use outros times do mesmo grupo de gestão para formar o grupo que disputará a Série D, vaga conquistada após o vice-campeonato no Paulistão deste ano. A equipe também disputará a Copa do Brasil em 2017.

Os dois clubes já haviam feito uma parceria em 2015, na qual o Oeste passou a disputar as partidas da Série B em Osasco. Na ocasião, alguns jogadores do Audax também reforçaram a equipe originária de Itápolis.

Vale ressaltar que a equipe continuará disputando a Série B com o nome de Oeste. (Uol)


O Vasco soltou o grito de “é campeão” e faturou o Campeonato Carioca de 2016, neste domingo, no Maracanã, ao empatar com o Botafogo: 1 a 1 (venceu o primeiro jogo da final por 1 a 0). Foi um bicampeonato especial, histórico pela invencibilidade – feito que não acontecia na Colina desde 1992, mas não é algo incomum para o Cruzmaltino, campeão invicto pela sexta vez, recorde carioca, esse foi 24º título carioca da história do Vasco. Ao todo, foram 13 vitórias e cinco empates. O artilheiro do Vasco na competição foi o equatoriano Riascos, com nove gols. Confira todos os títulos abaixo:

Títulos:

1923, 1924, 1929, 1934, 1936, 1945, 1947, 1949, 1950, 1952, 1956, 1958, 1970, 1977, 1982, 1987, 1988, 1992, 1993, 1994, 1998, 2003, 2015 e 2016


A valentia do Atlético de Madrid mais uma vez atingiu níveis inesperados. Em uma Liga dos Campeões dominada por grandes estrelas e futebol vistoso dos mais ricos clubes do mundo, o time espanhol eliminou simplesmente o Barcelona e, agora, o Bayern de Munique para voltar à decisão do torneio, a segunda nos últimos três anos. Na Alemanha, em uma verdadeira batalha, perdeu para o Bayern por 2 a 1 nesta terça-feira, resultado suficiente para garantir sua classificação.

Foi um jogo daqueles para ficar na memória de quem gosta de futebol. O Bayern dominou completamente o primeiro tempo, abriu o placar e poderia ter feito o segundo se Thomas Müller não perdesse pênalti. Na etapa final, o Atlético, bem ao seu estilo, aproveitou um raro contra-ataque para empatar. Lewandowski recolocou os bávaros em vantagem e o pênalti perdido por Fernando Torres fez com que a pressão durasse até o apito final, só para deixar a classificação ainda mais chorada, ao estilo dos comandados de Diego Simeone.

O técnico argentino, aliás, é o grande responsável por esta classificação. Mesmo com recursos limitados, colocou seu espírito guerreiro em um clube que se afirma entre os grandes a cada ano. Prova disso é a segunda final de Liga dos Campeões alcançada em três anos. Se em 2013/2014 perdeu na prorrogação para o Real Madrid, agora espera quem passar do confronto entre o próprio Real e o Manchester City para conhecer seu adversário na decisão que acontecerá no dia 28 de maio, em Milão, quando brigará por seu primeiro título do torneio na história.

Por outro lado, ficou a decepção do lado bávaro no encerramento do trabalho de Pep Guardiola por lá, já que ele está acertado com o Manchester City para a próxima temporada. Se em âmbito nacional o técnico teve sucesso e deve confirmar seu terceiro título alemão este ano, na Liga dos Campeões, caiu três vezes consecutivas nas semifinais.(Estadão)


Num jogo equilibrado e emocionante, venceu quem errou menos – ou não errou. Com um gol de Jorge Henrique, em falha do goleiro Jefferson, o Vasco fez 1 a 0 sobre o Botafogo, no Maracanã, na primeira partida da final do Campeonato Carioca. Os dois times voltam a se enfrentar no Dia das Mães domingo, Dia das Mães, domingo que vem, e o time vascaíno jogará pelo empate para garantir o bicampeonato estadual.

Foi, como projetado pela forma de jogar dos times durante o campeonato, um duelo de estilos parecidos: equipes organizadas, muito fortes defensivamente e que se acostumaram a prevalecer sobre os rivais mesmo sem o controle da posse de bola na maior parte do jogo, explorando erros rivais.

Se o Vasco tem, principalmente em Nenê e Andrezinho, jogadores de técnica superior, capazes de desmontar defesas e decidir um jogo, foi o Botafogo quem, no primeiro tempo, conseguiu impor sua estratégia: o Vasco teve mais a bola, mas foi o alvinegro que, em alguns contra-ataques objetivos, esteve mais perto de abrir o placar antes do intervalo.

Não houve chances claras de lado a lado (apenas uma finalização na direção do gol de cada time), mas o Botafogo poderia ter saído na frente se não desperdiçasse duas boas chances por má escolha ou erro de passe de Salgueiro e Gegê. Outro problema alvinegro era que, por vezes, o time marcava muito atrás, e quando recuperava a bola havia uma longa distância a percorrer até o gol vascaíno, o que dava tempo à recomposição defensiva do time de Jorginho.

Na volta para o segundo tempo, Jorginho declarou que o Vasco precisava ser mais eficiente com a bola no campo de ataque, reconhecendo que estava difícil achar espaços entre as compactas duas linhas de quatro jogadores armadas por Ricardo Gomes. Foi com o volante Julio dos Santos aparecendo como surpresa na ponta direita que o time ameaçou pela primeira vez, em chute perigoso de Nenê.

Diante de Diogo Barbosa (6), Julio dos Santos se antecipa e cabeceia a bola no Maracanã: Botafogo e Vasco no 1º jogo da final do Carioca de 2016 – Daniel Marenco / Agencia O Globo / Agência O Globo
O Botafogo respondeu no minuto seguinte com Ribamar, em sinal de que o jogo seguia equilibrado. A diferença, como em outras vitórias dos dois times, foi aproveitar uma falha do rival. E quem errou foi talvez o jogador que mais crédito tenha entre os 22 que estavam em campo: Jefferson saiu muito mal do gol em cruzamento de Nenê, aos 15 minutos, e permiti que o baixinho Jorge Henrique se antecipasse e abrisse o placar para o Vasco de cabeça.

O 1 a 0 no placar mudou também a dinâmica do jogo. Perdendo, o Botafogo não tinha mais a opção de esperar o Vasco para tentar o contra-ataque. Ricardo Gomes lançou o atacante Sassá no lugar de Leandrinho, mas a substituição deu errado: aos 24, Sassá entrou de carrinho de forma violenta numa dividida com Jorge Henrique e foi expulso.

Curiosamente, foi com um a menos que o Botafogo teve suas duas melhores chances na partida, dois gols incrivelmente perdidos na cara do gol. Primeiro, aos 34, quando Bruno Silva chutou por cima, e depois, aos 38, quando Ribamar foi parado por uma excelente defesa de Martín Silva, um dos melhores em campo.