O secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, afirmou que há dificuldade em reduzir os casos de covid-19 no interior da Bahia e que prefeitos de algumas cidades estão se recusando a fazer testes de covid-19 temendo que isso traga um aumento de casos confirmados e tenha efeitos políticos. Ele não citou cidades específicas.

“Vários, dezenas de municípios estão se recusando a testar a população, com medo de aparecerem casos e isso ter impacto eleitoral. Isso é extremamente grave. Estamos ficando no pé. Estamos oferecendo uma capacidade de 5000 exames por dia no Lacen e estamos processando menos da metade. Isso porque os municípios ativamente estão procurando colocar para debaixo do tapete os casos que estão acontecendo”, afirmou ele, em entrevista á TV Bahia na manhã desta terça-feira (13).

“Precisamos da parceria dos municípios e em alguns casos não estamos conseguindo”, acrescentou. As eleições municipais acontecem em novembro e a campanha eleitoral tem gerado aglomerações pelo interior. “Estamos recebendo pedidos de socorro de secretários de dezenas de municípios do interior no estado. Tenho recebido vídeos de aglomerações eleitorais, caminhadas misturadas com carreatas, pessoas sem máscara, bebendo latinha de cerveja, pulando atrás de minitrios. Isso é algo sistemático que está acontecendo no interior”, disse. Ele citou a reunião que fez na secretaria para elaborar uma recomendação para que a Justiça Eleitoral proíba comícios e caminhadas políticas. Leia mais no CORREIO


O volume das atividades turísticas na Bahia caiu 72% no 2º trimestre deste ano, quando comparado ao mesmo período do ano anterior. O resultado mantém a tendência de queda, iniciada no 1º trimestre de 2020 (-5,3%). O resultado no estado foi mais acentuado que à variação nacional -63,8%, que também marcou queda, na mesma análise, de acordo com os resultados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), realizada pelo IBGE e sistematizados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI).

Em relação à receita nominal das atividades turísticas, a Bahia decresceu 73,3%, seguindo o mesmo comportamento do Brasil (-64,9%). O consumo de energia elétrica nas Atividades Caraterísticas do Turismo (ACTs) na Bahia apontou queda de 44,7% no 2º trimestre de 2020 contra o 2º trimestre de 2019, impactado, principalmente, pela desaceleração em Hotéis (-65,6%).

O fluxo doméstico (-93,5%), o fluxo internacional (-99,8%) nos aeroportos da Bahia, e o fluxo no porto de Salvador (-100,0%) no 2º trimestre de 2020 desaceleram a movimentação de passageiros na capital baiana, impactando na taxa média de ocupação, nos meios de hospedagem em Salvador, em uma queda de 37%, quando comparados com o 2º trimestre de 2019.

Segundo dados da Secretária da Fazenda (Sefaz), o estado da Bahia arrecadou em ICMS aproximadamente R$ 1,2 bilhão nas ACTs, no 2º trimestre de 2020, com queda nominal de 26,3% em relação ao mesmo trimestre de 2019, puxado por Transporte por navegação de travessia intermunicipal, interestadual e internacional (-26,9%). *Com informações do G1


Foto: Reprodução

Mais de um ano depois de entregar pessoalmente o projeto que muda o CTB (Código de Trânsito Brasileiro) ao Congresso, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou com vetos, nesta terça-feira (13), o texto que, entre outros itens, dobra o limite de pontos para que o motorista perca a carteira e amplia para dez anos o prazo de validade da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) de condutores com menos de 50 anos.

O texto deve ser publicado no “Diário Oficial da União” desta quarta-feira (14). A nova lei entra em vigor em seis meses. Em uma live na tarde desta terça, Bolsonaro anunciou apenas um dos vetos. Ele derrubou trecho incluído pelo Legislativo envolvendo motociclistas. Eles poderiam trafegar entre veículos apenas quando o trânsito estivesse parado ou lento.

“Queriam, estava no projeto, nós vetamos, permitindo que o motociclista apenas pudesse ultrapassar filas de carros parados com baixa velocidade. Nós vetamos isso. Continua valendo, numa velocidade maior, o ciclista [sic] poder seguir destino”, disse Bolsonaro.

Segundo o presidente, não há necessidade desta medida porque “o motociclista, ele cuida da vida dele, pô. Ele que está em cima daquele trem ali. Eu sempre cuidei da minha vida, por muito tempo fui motociclista”.

Para defender o veto, Bolsonaro procurou exemplificar situações que, para ele, exigem velocidade dos motociclistas.

“Você, gordinho aí, uma pizza fria também acho que não cabe. [Tem que] Receber a pizza quente em casa”, afirmou.


O presidente Jair Bolsonaro recebe nesta quarta-feira (14/10) o projeto de lei, já assinado pelo ministro Paulo Guedes (Economia), que abre caminho para a privatização dos Correios. A chancela do presidente permitirá o envio da proposta ao Congresso nos próximos dias. O cronograma que orienta o trabalho da equipe econômica prevê a realização do leilão em meados de 2021. A proposta regulamenta o artigo da Constituição que trata de serviços postais e dá flexibilidade para a modalidade da privatização. Segundo especialistas, o modelo de venda é o grande desafio da operação.


A agressão de um homem contra a namorada foi flagrada através de uma câmera de celular na Rua Monteiro, em Ilhéus, na noite de terça-feira (13). O agressor foi identificado pela Policia Civil como Carlos Samuel Freitas Costa Filho, de 33 anos. Em um vídeo que circula nas redes sociais é possível a jovem conversando com o namorado próximo a um veículo, enquanto uma vizinha filma a cena. No vídeo a mulher chorando repreendendo o namorado: “Me solte, vá embora. Você acha que é amigo de polícia. Vou dar queixa de você. Minha boca está do jeito que está. Acabou, desencosta de mim. Pegue sua moto e vá embora. Eu vou dar uma queixa de você”, disse.

O agressor conversa com a namorada de uma forma em que ela fica pressionada entre ele e o veículo. O acusado ainda ameaça quem está gravando vídeo: “Você não disse que o cara ia descer para mim?” As ameaças continuam até o momento em quê a namorada não correspondeu a uma tentativa de um beijo que o agressor tentou dar na mulher. Ele não se conformou e começou a desferir uma sequência de socos contra o rosto da vítima, que após a sessão de espancamento, caiu na rua.

De acordo com o policial da delegacia de Ilhéus, a vítima inda não prestou queixa na delegacia local. Ainda segundo o policial, o acusado de agressão é conhecido na cidade por outras cenas de violência. “ Nós temos conhecimento do vídeo. O homem que aparece na cena é conhecido e acusado por ser briguento. Ele já agrediu outras pessoas, inclusive a própria mãe”, revelou o policial civil. *Com informações do Bocão News


O governo do Estado prorrogou o decreto nº 19.586, que venceria na próxima segunda-feira (12), e manteve a proibição das atividades escolares nas unidades de ensino das redes pública e privada e eventos com mais de 100 pessoas. A nova medida terá validade até o dia 25 de outubro. A prorrogação foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) deste sábado (10). O decreto proíbe as atividades que envolvem aglomeração de pessoas, como shows, feiras, apresentações circenses, eventos científicos, passeatas, bem como abertura e funcionamento de zoológicos, museus, teatros, dentre outros.


Para fortalecer o segmento, a Secretaria do Turismo (Setur) mantém no ar um portal que agrega informações, dados, indicadores e pesquisas sobre o turismo baiano. A proposta visa beneficiar gestores, investidores, pesquisadores, acadêmicos e profissionais da imprensa. O acesso pode ser feito pelo endereço: www.observatorio.turismo.ba.gov.br . A Bahia tem um litoral de 1.183 quilômetros e 13 zonas turísticas.

“É uma ferramenta muito importante para captar e entender as lacunas, desejos e as necessidades de nosso setor. Nele é possível observar o fluxo e a movimentação de todas as concessionárias que atendem o Estado. Com isso, conseguimos ter um diagnóstico mais apurado dos momentos mais e menos intensos e observar a movimentação das atividades ligadas ao turismo”, explica o secretário da Setur, Fausto Franco.

Para entender as consequências da pandemia no turismo baiano, a Setur realizou pesquisas com empresários, guias de turismo cadastrados no Sistema Nacional de Cadastro dos Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur) e com investidores privados de projetos turísticos, tanto em planejamento como em fase de implantação. A análise ajuda na construção de um entendimento mais preciso da real situação econômica do setor possibilitando, assim, comparação dos meses do período da pandemia e o mesmo período do ano anterior.

Segundo dados divulgados no portal, o índice de empresas do setor turístico que fecharam na Bahia com a pandemia do Covid-19 é de 84,6%. Já o total de desempregos provocados pela suspensão de seu funcionamento chegou a 55%. Entre os guias de turismo, a totalidade ficou sem exercer a atividade nesse período. A pesquisa mostra também que o índice de 84,6% equivale ao total de empresas que afirmaram necessitar de crédito no momento atual, para manutenção das suas atividades.

De acordo com a diretora de Planejamento Turístico da Setur, Giulliana Brito, os comparativos têm ajudado a mensurar os impactos causados pelos efeitos da pandemia, através do monitoramento de dados. “As pesquisas possibilitam a obtenção de dados sobre demissões, variação do faturamento das empresas e dos guias de turismo, estratégias adotadas, novos serviços implementados, perspectiva do empresário e do guia de turismo, entre outros. O levantamento ajuda a identificar possíveis dificuldades na execução dos projetos turísticos ocasionadas pela pandemia, para estabelecer estratégias com vistas à reativação e retomada do crescimento do setor na Bahia”.