Os casos de microcefalia em todo o país aumentaram 16% em apenas uma semana. De acordo com o novo boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, divulgado nesta terça-feira, foram notificados, até o último sábado (19), 2.782 casos suspeitos e 40 mortes possivelmente relacionadas ao vírus Zika. Os casos estão distribuídos em 618 municípios de 20 unidades da Federação.

Pernambuco continua sendo o estado com maior número de casos. São 1.031. Em seguida vem a Paraíba, com 429 casos e a Bahia, com 271.

O Ministério da Saúde alerta para a necessidade de reforçar o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chicungunya e do vírus Zika nas férias e festas de fim de ano, período marcado por chuvas em muitos estados e com maior circulação de pessoas, como afirma o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Carlos Nardi.

“Muitas atividades e festas estarão produzindo uma inúmera quantidade de descartáveis, de latas que estarão sendo consumidas. Nós estamos querendo exatamentente transferir a responsabilidade de descarte ecologicamente correto para que todos não deixem expostos copinhos, copos, garrafas, latas, tampas de garrafa.”

De acordo com a pasta, um paciente contraiu o vírus Zika depois de receber transfusão de sangue em um hospital de Campinas, em São Paulo. O órgão informou que o doador não sabia da doença, e fez uma notificação assim que começaram os sintomas. Os exames constataram a presença do vírus nos dois pacientes, mas, segundo o Ministério da Saúde, não é possível afirmar que o motivo foi a transfusão.

O ministério alertou que não há motivos para deixar de doar sangue, principalmente neste momento em que os estoques tendem a baixar em todo o país. Mas quem teve Zika deve esperar um prazo de 30 dias para fazer a doação, para evitar possíveis infecções.

De acordo com o Governo, 266 mil agentes comunitários de saúde trabalham nas ações de combate ao mosquito e cuidado com os criadouros no país. O objetivo é visitar 100% das casas até o dia 31 de janeiro. (Agravo)


Os casos da Síndrome de Guillain-Barré na Bahia mais que dobraram nos últimos cinco meses, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (2) pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab). Do dia 7 de julho, quando foi divulgado o primeiro boletim com dados sobre a doença pelo governo, até 19 de novembro, data da divulgação do último balanço, o número de casos confirmados saltou de 29 para 64. Uma mulher de 26 anos já morreu vítima da doença na Bahia. Os dois primeiros casos foram anunciados em junho. A Síndrome Guillain-Barré é uma doença neurológica rara que, segundo especialistas tem relação com doenças virais, como o Zika Vírus, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, mesmo transmissor da dengue. “Esse problema está relacionado ao Zika Vírus. Quanto a isso, não temos nenhuma dúvida. A gente tinha levantado essa suspeita pela relação temporal das duas doenças, mas isso já foi confirmado com pesquisas recentes feitas pela Fiocruz [Fundação Oswaldo Cruz]. A gente, no entanto, não sabe ainda como isso ocorre. Ou seja, não tem como saber se uma pessoa que teve Zika terá a Guillain-Barré”, disse ao G1 a infectologista Ceuci Nunes.


Nesta terça-feira (11), o Ministério da Saúde anunciou o início da 36ª Campanha de Vacinação Contra a Poliomielite, que acontecerá de 15 a 31 de agosto. O objetivo é que 12,7 milhões de crianças com mais de 6 meses e menores de 5 anos sejam vacinadas contra a paralisia infantil.

Durante a apresentação da campanha, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, ressaltou a importância de fortalecer o esquema de vacinação no Brasil como uma forma de contribuir para a erradicação da pólio no mundo: “Ainda não podemos falar em erradicação mundial porque há casos em alguns países da África e da Ásia. Mas é uma meta que nós vamos atingir mais cedo ou mais tarde. Por isso, não podemos permitir que crianças imunizadas convivam com outras sem a cobertura vacinal”, declarou. O último caso de poliomielite no Brasil foi registrado em 1990 e a última ocorrência endêmica na América, ou seja, que não depende de uma contaminação externa, aconteceu no Peru em 1991. Três anos depois, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que a pólio estava erradicada nas Américas, a primeira região do mundo a conseguir tal feito. Mesmo assim, o ministro ressaltou que “não podemos dar a luta como vencida”.

Para evitar que a doença volte a aparecer, é imprescindível que o país mantenha bons índices de vacinação porque, quanto maior é o número de pessoas imunizadas, menores são as possibilidades de circulação do vírus. “Além de protegermos individualmente as crianças, quando vacinamos maciçamente a população criamos uma imunidade de grupo, garantindo proteção até a quem não está vacinado. É o que chamamos de imunidade de rebanho”, explicou a coordenadora Coordenadora Geral do Programa Nacional de Imunização, Carla Magda Allan Santos Domingues

Vacina contra a poliomielite

A vacina utilizada na campanha é a trivalente, que protege contra os três tipos de poliovírus (1, 2 e 3) e será tomada por via oral, a famosa gotinha. Por isso, o grande esforço é para que as famílias compareçam ao posto de saúde neste sábado, 15, considerado o dia D da campanha.

Durante a campanha de vacinação contra a pólio, serão mobilizados mais de 100 mil postos de saúde em todo território nacional, que também oferecerão as demais vacinas que compõem o calendário básico da criança. Assim, fica mais fácil regularizar a imunização das crianças. A vacina de pólio é considerada segura e sua eficácia está em torno de 90% a 95%. A estimativa, segundo o Ministério, é que até o dia 31 de agosto pelo menos 12 milhões de crianças, o que representa 95% da meta, sejam imunizadas.


A IV Conferência Municipal de Saúde em Itacaré serviu para definir as prioridades da saúde no município e no Estado e também para eleger os 04 delegados titulares e 04 Suplentes do município na Conferência Estadual de Saúde que será realizada em Salvador em Setembro.

O evento que aconteceu no clube Pirajá, durante todo o dia 27, contou com a representação de pessoas de todo o município e tratou das principais demandas para a saúde de acordo com a necessidade de cada comunidade, cada distrito ou bairro de Itacaré. Com isso, a própria população discutiu quais problemas e soluções eram importantes para a sua localidade.

As discussões basearam-se em 04 temas centrais: Atenção a Saúde, que envolveu acolhimento, acesso e atenção primária, assistência farmacêutica, entre outros; O Controle Social no SUS; Financiamento Interfederativo; e Gestão no SUS: Gestão do Sistema, Gestão  da Educação na Saúde e Gestão do Trabalho.

Pode-se perceber que apesar do sistema de saúde já funcionar em todo o município, cada local pode ter uma necessidade diferente, o que pode ser constatado ouvindo as pessoas. Segundo a Secretária de Saúde, Stela Souza, somente uma gestão transparente e preocupada com a população conseguirá atender suas reais necessidades.

Para que acontecesse essa Conferência Municipal, foram realizadas, 10 pré-conferências no período de 13 a 18 de julho, nos próprios bairros e distritos, onde as pessoas se organizaram para definir suas reivindicações e sugestões. Elegendo ainda delegados usuários para participar da Conferência Municipal.

A organização da Conferência Municipal é de competência de cada município e a partir dela, se elege os representantes – delegados – da cidade que participarão da Conferência Estadual de Saúde em Salvador. Os delegados eleitos de Itacaré são: Segmento Usuários: Miguel Pereira Santos e Charles Ane Machado; Lauridilma Santos Queiroz e José Nilton dos Santos; Segmento Trabalhadores da Saúde Jorge Luiz Arouca Veloso e Luiz Carlos Pereira dos Santos, e Segmento Gestor/Prestador: Thais Gaspar dos Reis e Marcelo Barros.


Com o objetivo de reunir a comunidade em geral, os usuários e os profissionais da área para discutir as melhores soluções e propostas para a melhoria da Saúde no município de Itacaré e depois levar essas propostas para a Conferência Estadual de Saúde.

A secretária de Saúde, Stela Souza, convida todos para a Conferência. “É muito importante ouvir a população para diagnosticar problemas e propor soluções de acordo o interesse real das pessoas, das comunidades” comenta. Soluções estas que já estão sendo tomadas pela Secretaria de Saúde local desde as pré-conferências.

A Conferência Municipal é uma realização da prefeitura e da Secretaria de Saúde local, e contará com representantes do Ministério da Saúde que irão ministrar palestras e reunir as ideias apontadas na conferência para levar à Conferência Estadual e Federal de Saúde.

Após as palestras e discussões sobre os problemas e necessidades na saúde itacareense e no Brasil como um todo, será feita uma eleição entre os presentes que irão escolher os delegados, as pessoas que deverão ser os representantes de Itacaré em Salvador. Essas conferências servem de apoio para as políticas que serão aplicadas pelos governos na melhoria da Saúde. Por isso é importante o apoio e participação das pessoas.

Pré-Conferências – Antes da 4a Conferência Municipal foi realizado em todo o município de Itacaré, 12 pré-conferencias nos bairros, povoados e distritos. Aconteceram em Taboquinhas, Cachimbo Seco, Rua da Linha, Santo Antonio, Marambaia, Matinha, Mata Grande, Pé de Serra, PSF 3 e 4, no centro da cidade, Passagem e por fim no Centro Cultural no encerramento do Festival Quilombola e já foram apontados diversos problemas e demandas pela comunidade. Algumas delas já estão sendo providenciadas, como, por exemplo, o aumento do número de agentes comunitários para algumas localidades que tem uma necessidade maior entre outras ações.

Nestas pré-conferencias foram escolhidos pelas comunidades os seus seus delegados que irão representar suas comunidades nas votações no momento da Conferência Municipal.

‘Também foi importante fazer essas pré-conferências pois as pessoas já irão para a Conferência Municipal com suas ideias e prioridades organizadas, e ao invés da gente trazer todo mundo para a Conferência Municipal, sem ouvir as comunidades in loco, a gente preferiu primeiro ouvir cada pessoa e trazer elas para cá, no dia 27, já sabendo quais as demandas desses locais, pois cada comunidade tem uma necessidade diferente”, finaliza a Stela Souza. (Assecom)


Com exceção dos países desenvolvidos, a catarata reina absoluta como responsável por 47,8% dos casos de cegueira no mundo. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), haverão 40 milhões de casos de catarata no planeta até 2020. A opacidade que toma conta do cristalino, parte do olho responsável pela nitidez da visão, era, até então, só resolvida por meio de uma cirurgia. Agora, cientistas americanos descobriram uma fórmula promissora que, envasada em forma de colírio e usada duas vezes ao dia, substitui a cirurgia e devolve uma visão límpida àquele que sofre com o problema. Mais comum de acontecer por causa do envelhecimento, os cientistas ainda não entendem bem o motivo de a doença surgir, mas sabem que a névoa característica da catarata é causada por proteinas “grudadas” entre si e que não funcionam como deveriam. Quando estão em pleno funcionamento, essas proteínas – que nada mais são do que o cristalino – mantêm a visão límpida. Buscando uma alternativa à cirurgia, cientistas pesquisaram durante anos como essas mutações nas proteínas do cristalino aconteciam, para que pudessem desenvolver uma outra terapia. Aparentemente, conseguiram. Um grupo da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, desenvolveu um colírio depois de descobrir que crianças com uma forma genética de catarata carregavam uma mutação que barrava a produção de lanosterol, um esteroide importante para o corpo humano. Quando os pais não tinham a mesma mutação, a produção de lanosterol era normal e os progenitores não desenvolviam catarata. As pesquisas, então, se voltaram ao poder do lanosterol. Foi confirmado, em células humanas dentro de um laboratório, que esse esteroide conseguia reduzir a catarata. Em seguida, os cientistas passaram a testar em coelhos, sempre com sucesso. Envasaram a ideia em um colírio e testaram em cachorros com cataratas – e eles voltaram a enxergar. O próximo passo, agora, é começar a testar em humanos, por meio de pesquisas clínicas. Os experimentos devem ser feitos nos próximos dois anos. (iG)


Aproveitando a oportunidade da visita do governador ao distrito de Taboquinhas para inauguração da rodovia que inteliga o distrito a Itacaré, nesta sexta-feira (10).O prefeito Jarbas anunciou finalmente a entrega após quase dois anos de muita expectativa, uma moderna e equipada Ambulância e o Posto do SAMU para localidade, construído com recursos próprios.

O posto do SAMU representa um ganho importante para a comunidade de Taboquinhas e região,  já que o hospital local não possuí atendimento completo e especializado.

samu1

Outros benefícios que chegaram a ser anunciados, mas sem nenhuma explicação não ocorreram, mas que segundo o secretário de Economia e Finanças do município, Junior Andrade, acontecerão depois através de convênios, são a ordem de serviços para a ampliação do Hospital  Gabriel Motta Barros, e a construção do Centro de Diagnóstico de Raio X e Ultrassom em Taboquinhas.

(Itacareurgente.com/Ubaitaba.com)