O canoísta de velocidade, destaque do Brasil na Olimpíada, receberá ao longo de um ano R$ 132 mil da CBCa (Confederação Brasileira de Canoagem) como bônus pela façanha. Erlon, por sua vez, receberá R$ 48 mil.

Segundo João Tomasini, presidente da CBCa, foi definido já perto do megaevento esportivo que se pagaria pelo período de um ano, mensalmente, R$ 5.000 para ouro, R$ 4.000 para prata e R$ 3.000 para o bronze.

Isaquias também foi prata na canoa individual (C1) 1.000 m e bronze no C1 200m, o que lhe renderá um acumulado de R$ 11 mil por mês.

“[Isaquias] está ajudando na renovação dos patrocínios e vai ser recompensado por isso financeiramente. Erlon pode não ter o mesmo carisma dele, mas é fundamental também”, disse Tomasini.

Até os Jogos Olímpicos do Rio, a canoagem brasileira jamais havia conquistado medalha no principal evento esportivo do mundo, seja nas modalidades slalom ou velocidade. (Folha Uol)


Quase nove meses depois de o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) autorizar a abertura do processo de impeachment, o Senado inicia nesta quinta-feira (25) o julgamento final da presidente afastada Dilma Rousseff. A primeira etapa do julgamento será o depoimento das testemunhas escolhidas pelos autores da denúncia, os juristas Miguel Reale Júnior, Janaína Paschoal e Hélio Bicudo, e pela defesa de Dilma, capitaneada pelo ex-ministro José Eduardo Cardozo. Ao todo, são oito testemunhas. Duas foram arroladas pela acusação: o procurador Júlio Marcello de Oliveira, representante do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), e o auditor de fiscalização do TCU Antônio Carlos Costa D’ávila.

Já a defesa listou seis testemunhas, número máximo permitido: o ex-ministro do Planejamento Nelson Barbosa, o economista Luiz Gonzaga Belluzzo, a ex-secretária de Orçamento Federal Esther Dweck, o ex-secretário executivo do Ministério da Educação Luiz Cláudio Costa, o ex-secretário de Política de Investimento da Casa Civil Gilson Bittencourt e o professor de Direito Geraldo Prado, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

A previsão do Supremo Tribunal Federal (STF) é dar início aos depoimentos das testemunhas na quinta e encerrar a etapa na sexta-feira (26). No entanto, não está descartada a hipótese de o interrogatório das testemunhas avançar pelo final de semana.
Na segunda-feira (29), será a vez do depoimento de Dilma Rousseff, que já confirmou, via assessoria, que comparecerá ao plenário do Senado. Ainda segundo o cronograma, o julgamento deverá ser concluído na terça-feira (30) da próxima semana.

A petista é acusada de crime de responsabilidade por ter editado três decretos de créditos suplementares sem a autorização do Congresso Nacional e pela prática das chamadas “pedaladas fiscais” – atrasos nos pagamentos da União para o Banco do Brasil nos subsídios concedidos a produtores rurais por meio do Plano Safra.
Para a acusação, esses atrasos configuram operações de crédito da União com instituições financeiras que controla, o que é vedado pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Já a defesa de Dilma Rousseff diz que não houve dolo (má-fé) da petista na edição dos decretos e que as “pedaladas” não são empréstimos bancários. Se, pelo menos, 54 senadores votarem a favor do impeachment, Dilma será definitivamente afastada e ficará inelegível por oito anos a partir de 2019. Se o placar não for atingido, Dilma será absolvida e reassumirá a Presidência da República imediatamente.


Isaquias Queiroz quando pisou o pé no Maracanã levando a bandeira do Brasil no encerramento das Olimpíadas do Rio 2016, talvez nem pensasse, naquele momento, que também levava Ubaitaba estampada naquelas cores verde e amarela. Ubaitaba que durante uma semana foi a cidade mais olímpica de todas. Uma cidadezinha do interior da Bahia que deixou de ser quase desconhecida para entrar de uma vez por todas no mapa do Brasil e na história das Olimpíadas Mundial. Ubaitaba que chorou, vibrou, se emocionou com o campeão ubaitabense.

Com 03 medalhas no peito, ele colocou o seu nome na história e ganhou naturalmente o direito a essa honraria, pois ninguém mais que ele cumpriu todas as promessas que fez e conquistou tanto o Brasil. E ninguém mais que ele faz jus ao lema, sou brasileiro e não desisto nunca, um exemplo de força, superação e humildade.

Quando Isaquias Queiroz cruzou a linha de chegada no c2 1000m com Erlon Souza de Ubatã nem imaginava que estava ganhando ali a prata mais dourada da história das Olimpíadas. Aquela prata que valia ouro e servia para escrever de uma vez por todas o seu nome na história das Olimpíadas.

Isaquias, que veio do Rio das Contas nem fez as contas de quantas vezes escreveu seu nome na história Olímpica.

Primeiro brasileiro a conquistar uma medalha para a canoagem velocidade numa olimpíada, depois, a conseguir 2, e a conquistar 3. Como se não bastasse, também foi o primeiro canoísta no mundo a conquistar 03 medalhas olímpicas  na modalidade Canoa Olímpica ou Canoa Canadense, um feito que nem o Brendel conseguiu. E aqui na Rio2106, também foi o único brasileiro a subir no podium mais de 1 vez, e ele não se conformou a fazer isso 2 vezes como fizeram outros 04 brasileiros na história e ele foi o único a subir 03 vezes ao podium numa mesma olimpíada.

Pela primeira vez, o Brasil ganhou 07 medalhas olímpicas e fez a melhor campanha da sua história, mas nenhuma medalha de ouro brilhou mais que as duas medalhas de prata e a de bronze de Isaquias Queiroz. (Ubaitaba.com)


Quem observava no cantinho, aquele garoto tímido franzino com cabelo bem diferente do atual, nunca imaginaria que aquele garotinho na época com apenas 12 anos, se tornaria o maior medalhista do Brasil numa Olimpíada, dez anos depois. Essa semana, o fotografo de Itacaré, Fábio Coppola publicou em sua pagina oficial em uma rede social, algumas fotos direto do túnel do tempo de Izaquias Queiroz com apenas 12 anos em Itacaré participando de uma Etapa do Campeonato Baiano de Canoagem em setembro de 2006. E recebendo uma de suas primeiras medalhas das mão da saudosa Sandra Regina, uma das maiores responsáveis pela vinda da etapa para Itacaré e incentivadoras da canoagem em Itacaré e região, ao lado de Jefferson Lacerda da ACC (Associação Cacaueira de Canoagem), pioneiro do esporte na região. As fotos estão fazendo maior sucesso nas redes sociais, confira abaixo algumas:

14100314_10154508742439312_7019255528235125643_n
Foto: Fabio Coppola

Desde muito cedo o jovem Isaquias, apelidado pelos amigos “Sem Rim”, mostrava que era diferenciado e que tinha o dom das reimadas. Em julho de 2011, com apenas 17 anos, Isaquias conseguiu seu primeiro feito histórico na canoagem brasileira: foi campeão na C1 200m e vice no C1 500m no campeonato mundial júnior, realizado naquele ano na Alemanha. Aos 19 anos, em 2013, Isaquias alcançou o topo da canoagem mundial pela primeira vez, com ouro no C1 500m e bronze no C1 1000m.

Naquele ano, começara a trabalhar com o espanhol Jesús Morlan, um treinador obcecado com números que já somava cinco medalhas olímpicas no currículo, a maioria com David Cal, o atleta espanhol com mais pódios olímpicos da história.

O maior canoísta do Brasil teve que superar uma série de obstáculos até a participação vitoriosa nos Jogos do Rio, que abre um possível novo capítulo olímpico para Tóquio-2020. (Fonte: Itacaré Urgente)

14034994_10154508743314312_3421983195109750395_n
Foto: Fabio Coppola
14068272_10154508744004312_3839182512229657653_n
Foto: Fabio Coppola
14089252_10154508741534312_5210262001680404114_n
Foto: Fabio Coppola
14080031_10154508750579312_2055199880960859785_n
Foto: Fabio Coppola

Um acidente ocorrido na noite deste sábado (20), deixou quatro pessoas feridas, no quilômetro 03, da Rodovia Itacaré/Ilhéus BA-001, num local conhecido como ladeira do Bacurau. Duas das vítimas teve de ser socorrida pelo Samu, pela gravidade dos ferimentos, e depois transferida para Ilhéus, onde realizaram exames e foram medicadas, e logo depois receberam alta. Apesar da violência do acidente, as cinco das pessoas envolvidas no acidente não correm risco de morte.

Segundo informações de uma das vítimas, o motorista passou direto na curva, invadiu o acostamento e colidiu com o barranco e capotou, o impacto da colisão foi tão forte que o veículo de placa policial JOX-8365 ficou praticamente destruído. “Nois nascemos de novo, muito obrigado senhor por mais uma oportunidade”, declarou a vítima, que segue em repouso com alguns ferimentos e dores em um dos braços.

Foto enviada pelo Whatsapp


Foi só Isaquias Queiroz fazer sucesso ao conquistar suas três medalhas na Olimpíada do Rio para aparecerem vários fãs do atleta. O cabelo do campeão de canoagem, claro, não passou despecebido e já tem gente imitando seu estilo por aí.
No Boulevard Olímpico, o pequeno Hugo Oliveira, de 11 anos, chamava a atenção das pessoas que estavam no local, que comentavam que ele era o Isaquias mirim. Hugo, por sua vez, posava para fotos em frente ao Museu do Amanhã na maior diversão.
“Ele adora imitar os atletas, jogadores, é muito vaidoso, gosta dessas coisas. Ele também adora o estilo do Neymar e pede para fazer os cabelos desse povo todo”, comentou a carioca Elizabeth Oliveira, mãe do menino, que levou os filhos para passarem o dia no local, que teve a maior concentração de visitantes fora das Arenas. (G1)


As mudanças nas regras eleitorais válidas já na campanha deste ano têm levado candidatos em todo o país a apostar na internet como meio para driblar as restrições e falta de dinheiro, sobretudo no caso dos candidatos a vereador. Itacaré é um bom exemplo do campo de batalha que se tomaram as redes sociais, sobretudo o Facebook. Tem sido comum receber no smartphone a notificação de que algum deles no Facebook’. O Twitter também está sendo muito explorado. Novidade ainda maior no meio eletrônico, o WhatsApp (serviço de troca instantânea de mensagens de texto) tem sido também grande aposta entre os candidatos às 11 cadeiras da Câmara Municipal de Itacaré, sobretudo pelos que já têm mandato e buscam se reeleger. Mas há que se ponderar o volume e o conteúdo do material divulgado pelos políticos e por suas respectivas equipes de campanha. Pelo menos é o que avalia o Jorge Almeida, professor de Ciência Política e doutor em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Em entrevista à Tribuna, ele afirmou que para ter boa aceitação dos receptores de seu material de campanha, os candidatos devem saber exatamente direcionar suas propostas (expressas nos materiais gráficos publicados nas redes e enviados pelo WhatsApp) para seu público-alvo. “Mesmo na internet, que é um campo livre, não é somente pegar as coisas e divulgar de qualquer jeito. Na campanha para vereador, geralmente o candidato foca em bairros e regiões da cidade e em seus círculos sociais, e aí a gente tem diversos segmentos da sociedade (mulheres, negros, religião, meio ambiente etc.). Eles têm de trabalhar o receptor de sua mensagem de maneira mais focada”, afirma Jorge Almeida. Para ele, volta a ganhar a força entre os candidatos a vereador o corpo a corpo com o eleitorado. O especialista também avalia que, de fato, a tendência é a internet se consolidar gradativamente como meio fundamental de comunicação para campanhas no Brasil, inclusive por causa das limitações impostas pela nova legislação eleitoral vigente, como proibição de doação de dinheiro por empresas. “

“Rádio e TV terão maior impacto”

Mas Jorge Almeida pondera que para a campanha dos candidatos a prefeito a propaganda no rádio e na televisão ainda terá maior impacto. “A internet, volto a dizer, tem consolidada sua importância no processo eleitoral, mas ela sozinha não é suficiente para determinar o voto. O candidato a prefeito tem mais tempo no rádio e na televisão para defender suas propostas e se defender dos ataques dos adversários, e esses dois meios de comunicação ainda são predominantes na sociedade brasileira”. O especialista avalia também que uma velha conhecida da política brasileira continua tendo seu “papel de peso” nas campanhas: a máquina pública. “O poder de campanha determinado pela máquina pública também vai continuar a beneficiar quem a tem na campanha. O aparelhamento da política brasileira ainda tem seu papel com o poder econômico da máquina pública no processo eleitoral”, afirma Jorge Almeida. (Brumado Urgente)